terça-feira, 29 de março de 2011

Jair Bolsonaro, a personificação do ódio - por Latuff


Fonte: http://twitpic.com/photos/CarlosLatuff

8 comentários:

Parrudo disse...

Como esse tipo de pessoa tem participação na política brasileira é um enigma..

Nema Herrero disse...

Meu amigo isso se chama "proporcionalidade", como os votos do Tiririca o safado do Protógenes se elegeu. Isso é mais uma das desgraças da nossa política podre, corrupta e nefasta.

KASKADURA disse...

estamos indo muito bem......
bem lascados!!

Carlos Aceveda disse...

Não vejo TV, não sei nome de novelas, nunca vi um BBB e o programa CQC, que eu não sabia da existência, vi os primeiros minutos de minha vida na internet ontem. Acho que o nível dos programas de televisão aberta são sempre muito ruíns e infelizmente a TV a cabo tem propaganda demais, por isso não vejo mais nada. Gosto de seriados e compro as temporadas nas lojas Americanas.
Defendo o direito dos homossexuais terem sua união reconhecida pelo estado e a adoção de filhos, a parte da união reconhecida é a mais importante, acontece em nossa sociedade uma pessoa ser banida de sua família por casar com outra do mesmo sexo, este casal constroe uma vida juntos e quando um dos dois morre a herança vai toda para a família que rejeitou a pessoa, não está correto.
Liberdade de expressão não é escolher um nicho da sociedade e dar a este setor voz sobre os outros, liberdade de expressão às vezes dói, porque temos de escutar o que as vezes não queremos ouvir.
O deputado Bolsonaro defende a ditadura militar e seus métodos de repressão, se pensarmos que a maioria dos que lutavam pela esquerda queriam trocar uma ditadura por outra não vejo razão para que ele seja demonizado. Os militares entregaram o poder em 1985 por pressão da sociedade, se levarmos em consideração o modelo cubano ou norte-coreano podemos imaginar que a tal “ditadura do proletariado” que a esquerda queria implantar, não largaria o osso tão cedo, um bom exemplo desta gana de poder foram as diversas tentativas de controle da mídia pelo governo Lula.
Lendo livos de Sirkis, Gabeira e Zuenir Ventura podemos notar que havia um racha entre militantes que queriam a ditadura do proletariado e os que defendiam a derrubada do governo militar para implantação de uma democracia e estes eram minoria.
O deputado Bolsonaro está sendo criticado porque expressa suas idéias sem medo. O governador do meu estado, Sergio Cabral, tem cara de boa praça, só fala o que as pessoas querem ouvir mas teve sua campanha financiada por milicianos como o Jerominho e seu irmão Natalino Guimarães. Luciano Huck, que também criticou o deputado contratou o escritório de advocacia da mulher do governador e semanas depois Sergio cabral sancionou uma lei que alterava parâmetros ecológicos em Angra dos Reis, legalizando automaticamente uma obra em sua mansão de veraneio. Lei que foi batizada por gaiatos de “Lei Luciano Huck”. De minha parte prefiro os que falam o que pensam.
Quero liberdade de expressão em todos os sentidos, quero que homossexuais exerçam seu afeto abertamente sem serem incomodados, mas quero que as pessoas que não concordem com isso sejam respeitadas também.

Provos Brasil disse...

Meu amigo como anda em moda vou de Voltaire “posso não concordar com nenhuma das palavras, mas defenderei o seu direito em dizê-las”.

Não quero ficar criando discussão que não leva a lugar algum, só colocarei a minha humilde opinião.

Acho essa sua carta de apoio ou a favor do Bolsonaro de uma estupidez sem fim, a televisão para mim só serve para ver Futebol, Tênis, NBA, MMA, Surf e a fantástica cozinha da Palmirinha, enlatados estadunidenses to fora.

Esse discurso pigista que no Governo Lula teve tentativas de “controle da mídia” já virou piada, até agora estamos esperando as explicações do Estadão sobre a Maria Rita Kehl, da Falha de São Paulo sobre a demissão do Ombudsman, do Serra sobre a demissão de Heródoto Barbeiro que lhe fez perguntas descabidas no Roda Viva, também estou esperando o segundo volume do livro “não somos racistas” do Ali Kamel e por aí vai...

Cara tenho 40 anos, não me sinto um conhecedor profundo do regime militar no Brasil li e continuo lendo bastante coisas para o meu conhecimento, mas achar que Sirkis, Gabeira e Zuenir são referencias para tal assunto acho eu um total desconhecimento de causa.

Agora o Bolsonaro para mim é a escória, é lixo radioativo, eu assisti o vídeo do programa CQC hoje na rede e não tive nenhuma surpresa já que o mesmo é figurinha carimbada para criar “polêmicas” ou você acha que o babaca o Tas não fez isso de caso pensado, o Bolsonaro é que dá vida para esses neo-imbecis que saem por aí espancados e matando negros, homossexuais, anarquistas e outros que “eles” acham inferiores, o Brasil é sim um país racista, preconceituoso e cruel com as minorias, esse cidadão tinha que ser preso, e os militares que soltaram a nota de agradecimentos pelo GOLPE MILITAR tinha que fazer companhia para esse racista do Bolsonaro, quem sabe um dia eu cruze com ele por aí para poder dar um escarrada na cara de nazi de merda.

Agora se você concorda com o cara, o se utilizar da chamada “liberdade de expressão” para defendê-lo fazer o que.

Obrigado pela visita e blog tem nojo de racistas!

Provos Brasil

Petrus disse...

O pior tipo de cego é aquele que não quer ver, já dizia um velho ditado.

Querer forçar pra cima do Bolsonaro a responsabilidade pela existência de neonazis e outro tipo de escória é o tipo de insinuação falaciosa que se espera de gente de mente pequena e mal intencionada; da mesma forma como as gralhas da esquerda tentaram atribuir a ele a imagem de racista após o programa do CQC, onde o deputado - como sempre, falando sem pensar - deu uma resposta fora de contexto.

Sei bem que o Bolsonaro perde a oportunidade de ficar calado e demonstra sim preconceito contra homossexuais, comportamento que eu abomino. Mas querer transformá-lo na raiz de todo o mal é uma desonestidade digna dos bandidos que governam o país lá de Brasília. E olha que o blog se diz "apolítico" hein?

Anônimo disse...

Nojo do preconceito desse cara!

Provos Brasil disse...

Petrus vai ler direito!